Escrito em
por
12 de outubro de 2023
Última modificação em 12 de outubro de 2023 às 03:13 pm

Como melhorar e medir a latência em sua rede

Foto de Conny Schneider no Unsplash

A latência é definida como o tempo que um pacote de dados leva para viajar de sua origem até o destino. Em termos simples, é o atraso que ocorre quando os dados são transmitidos por uma rede. 

À medida que o mundo se torna cada vez mais interconectado e as empresas continuam a depender de tecnologias digitais, a demanda por redes rápidas e confiáveis continua a crescer. De fato, espera-se que o mercado global de equipamentos de rede corporativa atinja US$ 108 bilhões até 2030, refletindo a crescente demanda por redes confiáveis e de alto desempenho. 

Este artigo discutirá como medir a latência, como ela afeta o desempenho da rede e algumas maneiras comprovadas de melhorá-la.

Como a latência afeta o desempenho da rede

A latência pode afetar significativamente o desempenho da rede, especialmente para aplicativos em tempo real, como jogos on-line, videoconferência e serviços cloud . A alta latência pode resultar em tempos de resposta lentos, atraso e jitter, tornando esses aplicativos inutilizáveis.

Por exemplo, em jogos on-line, a alta latência pode causar um atraso nas ações do jogador, resultando em uma experiência de jogo ruim. Da mesma forma, em videoconferências, a alta latência pode causar atrasos nas transmissões de vídeo e áudio, resultando em uma comunicação ruim.

Nos serviços baseados em cloud, a alta latência pode afetar a velocidade e o desempenho do aplicativo. Por exemplo, se um usuário estiver acessando um aplicativo baseado em cloud que tenha alta latência, poderá levar mais tempo para carregar dados ou executar operações.

Fatores que afetam a latência

Vários fatores podem afetar a latência, inclusive a velocidade da conexão, a largura de banda e o congestionamento da rede:

  • A velocidade da conexão refere-se à taxa na qual os dados são transmitidos por uma rede. Uma velocidade de conexão mais rápida geralmente resulta em menor latência.
  • A largura de banda é a quantidade de dados que pode ser transmitida em uma rede. Uma largura de banda maior geralmente resulta em menor latência.
  • O congestionamento da rede ocorre quando há um grande volume de dados sendo transmitidos por uma rede. Isso pode causar atrasos e resultar em maior latência.

A importância da velocidade de conexão e da largura de banda

A velocidade da conexão de rede e a largura de banda são fatores essenciais para determinar a latência. Uma velocidade de conexão mais rápida e uma largura de banda maior geralmente resultam em menor latência. Por exemplo, uma conexão de fibra óptica normalmente tem uma largura de banda maior e uma velocidade de conexão mais rápida do que as conexões de Internet DSL, resultando em menor latência.

Além disso, a distância entre os dispositivos de origem e de destino também pode afetar a latência. Quando se trata de distância, quanto maior a distância, mais tempo leva para os dados viajarem, resultando em maior latência.

Como medir a latência e o desempenho da rede

Foto de Isaac Smith no Unsplash

A latência é medida em milissegundos (ms), e você pode usar várias ferramentas de diagnóstico para medir o desempenho da rede e a latência, bem como testar a latência, a perda de pacotes e a velocidade da rede. 

Se estiver se perguntando como medir a latência, as ferramentas mais comumente usadas incluem Ping, Traceroute e Speedtest:

  • Os testes de ping envolvem o envio de um pequeno pacote de dados de um dispositivo para outro e a medição do tempo que o pacote leva para retornar (ou seja, tempo de ida e volta). Eles são comumente usados para medir o tempo de latência entre dois dispositivos em uma rede local ou entre um dispositivo local e um servidor de Internet.
  • A ferramenta traceroute envolve o envio de um pacote de dados a um dispositivo remoto e o rastreamento da rota que ele percorre para chegar ao endereço IP de destino (latência unidirecional). Ela fornece informações sobre cada salto ao longo do caminho, incluindo a latência de cada salto.
  • As ferramentas de monitoramento do desempenho da rede (NPM) oferecem uma visão abrangente do desempenho da rede, incluindo o uso da largura de banda, a latência, a perda de pacotes e o desempenho dos aplicativos. Elas podem ajudar as organizações a identificar e diagnosticar problemas de desempenho da rede em tempo real.
  • As ferramentas de teste de largura de banda medem a quantidade de dados que podem ser transmitidos por uma rede em um determinado período de tempo. Elas podem ser usadas para identificar limitações de largura de banda e planejar atualizações de rede.
  • Por fim, as ferramentas de monitoramento de desempenho de aplicativos (APM) ajudam o administrador de rede a monitorar o desempenho de aplicativos e serviços específicos em execução na rede, ajudando as organizações a identificar e diagnosticar problemas que afetam o desempenho dos aplicativos.

Ao usar essas ferramentas e técnicas, as organizações podem aprender a medir a latência e o desempenho e identificar os problemas que os afetam. Com essas informações, elas podem implementar estratégias eficazes para melhorar o desempenho da rede e garantir uma experiência ideal para o usuário.

Interpretação dos resultados de latência

A interpretação dos resultados de latência é uma parte essencial do gerenciamento do desempenho da rede. Os resultados de latência podem fornecer informações sobre a integridade de uma rede e ajudar a identificar problemas que afetam o desempenho da rede. 

Aqui estão algumas diretrizes para interpretar os resultados de latência:

  • Conheça a latência esperada. Diferentes tipos de redes e aplicativos têm diferentes faixas de latência esperada. Por exemplo, os aplicativos de jogos on-line exigem baixa latência, normalmente inferior a 50 ms, enquanto os aplicativos de videoconferência podem tolerar uma latência maior, de até 150 ms. Conhecer a latência esperada para um aplicativo ou rede específica pode ajudá-lo a interpretar com precisão os resultados de latência do aplicativo.
  • Observe a tendência ao longo do tempo. A latência pode flutuar com o tempo devido ao congestionamento da rede, a alterações na topologia da rede ou a outros fatores. É essencial observar a tendência dos resultados de latência ao longo do tempo para identificar padrões ou anomalias.
  • Compare os resultados com a linha de base. Estabelecer uma linha de base para a latência é fundamental para identificar alterações no desempenho da rede. A comparação dos resultados atuais de latência com a linha de base estabelecida pode ajudá-lo a identificar tendências e determinar se a latência está aumentando ou diminuindo.
  • Identifique as possíveis causas. Os resultados da latência podem indicar problemas relacionados à largura de banda, ao roteamento, ao congestionamento ou a outros fatores. A identificação das possíveis causas dos problemas de latência pode ajudá-lo a determinar o curso de ação adequado para melhorar o desempenho da rede.
  • Considere o impacto na experiência do usuário. A latência pode afetar a experiência do usuário de aplicativos e serviços de rede. Compreender o impacto da latência na experiência do usuário pode ajudá-lo a priorizar os problemas de latência e determinar o nível adequado de resposta.

Lembre-se de que os resultados da latência devem ser interpretados em conjunto com outras métricas de desempenho, como perda de pacotes de rede, velocidade da rede e utilização da largura de banda. Além disso, eles devem ser comparados com os padrões de referência e as práticas recomendadas do setor para determinar se são aceitáveis.

Como melhorar a latência da rede

Foto de Robynne Hu no Unsplash

Melhorar a latência é essencial para as organizações que dependem de redes de alto desempenho para dar suporte às suas operações. O desempenho lento da rede pode resultar em diminuição da produtividade, menor satisfação do usuário e perda de receita.

Felizmente, há várias estratégias que as organizações podem usar para melhorar a latência.

Entenda seus requisitos de rede

Para gerenciar a latência de forma eficaz, é essencial entender os requisitos de sua rede. Isso envolve a identificação de aplicativos e serviços essenciais que exigem baixa latência, como videoconferência, processamento de dados em tempo real e jogos on-line. Ao entender os requisitos da rede, você pode priorizar o tráfego e alocar largura de banda suficiente para dar suporte aos aplicativos essenciais.

Otimizar a configuração e a infraestrutura da rede

A otimização de toda a configuração da rede envolve a instalação de dispositivos de rede, como roteadores e switches, para priorizar a velocidade do tráfego e reduzir a latência. Isso pode envolver a configuração de políticas de Qualidade de Serviço (QoS) para priorizar o tráfego em tempo real, como o tráfego de vídeo e voz, e a configuração de dispositivos de rede para minimizar a perda e o atraso de pacotes.

Além disso, a atualização dos mapas e da infraestrutura da rede pode reduzir significativamente a latência e melhorar o desempenho da rede. Isso pode envolver a atualização de uma conexão DSL para uma conexão de cabo de fibra óptica, a substituição de dispositivos de rede desatualizados por dispositivos mais novos e mais rápidos ou o aumento da largura de banda para dar suporte a aplicativos de alta largura de banda.

Usar redes de distribuição de conteúdo (CDNs)

As CDNs são redes distribuídas de servidores que armazenam em cache e fornecem conteúdo mais próximo do usuário final, reduzindo assim a latência e melhorando o desempenho. Isso é particularmente útil para organizações que têm usuários localizados em diferentes partes do mundo, pois pode reduzir a distância que os dados precisam percorrer para chegar ao seu destino.

Reduzir o congestionamento da rede

O congestionamento da rede pode causar atrasos e aumentar a latência, principalmente durante os períodos de pico de uso. As organizações podem reduzir o congestionamento da rede implementando ferramentas de gerenciamento de largura de banda, como modelagem de tráfego e balanceamento de carga, para distribuir o tráfego da rede de forma mais uniforme e evitar gargalos.

  • O balanceamento de carga envolve a distribuição do tráfego entre vários servidores para melhorar o desempenho e reduzir a carga em servidores individuais. 
  • O traffic shaping envolve a priorização do tráfego com base nos requisitos do aplicativo, como, por exemplo, dar ao tráfego em tempo real, como o tráfego de voz e vídeo, uma prioridade maior do que outros tipos de tráfego.
Monitorar e medir o desempenho da rede

Para gerenciar efetivamente a latência, você deve monitorar e medir regularmente o desempenho da rede usando as ferramentas que já mencionamos. Isso permite identificar problemas de latência e acompanhar a eficácia das estratégias de redução de latência.

Treinar a equipe da rede

O gerenciamento eficaz da latência exige um esforço de equipe. A equipe de rede deve receber treinamento sobre as práticas recomendadas de gerenciamento de latência, monitoramento de rede e técnicas de solução de problemas. Isso pode ajudar a garantir que eles tenham as habilidades necessárias para identificar e resolver problemas de latência de forma rápida e eficaz.

Desafios no gerenciamento de latência

Foto de Jordan Harrison no Unsplash

O gerenciamento da latência tem seus desafios. Apesar dos avanços na tecnologia de rede e da disponibilidade de técnicas de redução de latência, vários fatores ainda podem afetar a latência da rede.

Distância

A distância é um fator significativo na latência da rede. Quanto mais longe os dados tiverem que viajar, maior será a latência. A latência pode ser especialmente problemática para aplicativos que exigem baixa latência, como processamento de dados em tempo real e jogos on-line. Para superar esse desafio, talvez seja necessário considerar a implementação da computação de borda, que pode reduzir a distância percorrida pelos dados.

Limitações de largura de banda

O alto uso da largura de banda pode levar ao congestionamento e à perda de pacotes, o que pode aumentar a latência. As organizações podem superar esse desafio implementando políticas de modelagem de tráfego e qualidade de serviço (QoS) para priorizar aplicativos essenciais e garantir que eles recebam a largura de banda necessária.

Complexidade da rede

A complexidade das redes modernas pode dificultar a identificação e a solução de problemas de latência. À medida que as redes sem fio se tornam mais complexas e se transformam em redes maiores, a identificação da causa raiz da latência pode se tornar mais desafiadora, principalmente quando os problemas de latência são intermitentes. Para superar esse desafio, as organizações podem implementar ferramentas de monitoramento de rede e latência que podem detectar e diagnosticar problemas de latência em tempo real.

Segurança

As técnicas de redução de latência, como o cache de conteúdo, podem gerar preocupações com a segurança. Por isso, é fundamental equilibrar a necessidade de melhorar o desempenho com a necessidade de segurança, implementando protocolos seguros e monitorando o tráfego de rede em busca de possíveis ameaças à segurança. A otimização da segurança da rede pode envolver a implementação de firewalls, sistemas de detecção de intrusão e outras medidas de segurança para proteger contra possíveis ameaças.

Custo

O gerenciamento da latência pode ser caro, principalmente para organizações que exigem altos níveis de desempenho de rede. A implantação de equipamentos de rede de alto desempenho e a implementação de técnicas de redução de latência podem ser caras, principalmente para redes de pequenas e médias empresas. Recomendamos avaliar cuidadosamente o custo-benefício das técnicas de redução de latência para garantir que elas sejam econômicas.

Escalabilidade

À medida que as organizações crescem, seus requisitos de rede podem mudar significativamente. Garantir que as estratégias de gerenciamento de latência sejam escalonáveis pode ser um desafio, principalmente para as organizações que experimentam um crescimento rápido. Para superar esse desafio, considere a implantação de uma infraestrutura de rede escalável que possa se adaptar às mudanças nos requisitos da rede.

Considerações finais

Como se pode ver, a latência é um fator crítico no desempenho da rede e pode ter um impacto significativo na experiência do usuário final. À medida que as empresas se tornam cada vez mais dependentes de tecnologias digitais e serviços on-line, a necessidade de baixa latência se torna mais importante do que nunca. O gerenciamento da latência não é uma solução única, mas requer monitoramento, otimização e aprimoramento contínuos.

Apesar dos desafios envolvidos no gerenciamento da latência da rede, os avanços na tecnologia de rede e a disponibilidade de técnicas de redução de latência possibilitaram que as organizações alcançassem a baixa latência necessária para dar suporte a aplicativos e serviços essenciais. Ao implementar estratégias eficazes de gerenciamento de latência, elas podem garantir que suas redes ofereçam desempenho ideal e atendam às expectativas dos usuários finais.

No entanto, é importante observar que o gerenciamento da latência é um processo contínuo que requer monitoramento, teste e otimização contínuos. À medida que os requisitos da rede mudam, as organizações devem adaptar suas estratégias de gerenciamento de latência para garantir que continuem eficazes.

Se quiser saber mais sobre a diferença entre latência e taxa de transferência, dê uma olhada em nosso guia sobre esse tópico.


Postos similares